Atirador de Estrasburgo tem 27 condenações na França, Alemanha e Suíça

Atirador de Estrasburgo tem 27 condenações na França, Alemanha e Suíça

O homem que abriu fogo no mercado de Natal de Estrasburgo na noite de terça-feira (11) tem 27 condenações por crimes comuns cometidos na França, na Alemanha e na Suíça, de acordo com o procurador-geral francês, Rémy Heitz. Durante o ataque que deixou dois mortos e vários feridos, ele gritou "Allahou akba" (Deus é Grande). Chérif C, de 29 anos, segue foragido.

"Cherif C. nasceu em 24 de fevereiro de 1989, em Estrasburgo. Ele é bastante conhecido dos serviços de polícia e da Justiça por ter praticado crimes comuns, principalmente por envolvimento em roubos e violência. Seu histórico criminal tem 27 condenações por crimes comuns cometidos em quase todos na França, mas também na Alemanha e igualmente na Suíça", afirmou Heitz.

O procurador afirmou que ele já foi preso várias vezes e está na ficha "S", que indica tendência à radicalização e, por isso, era acompanhado pela serviço de inteligência francês (Direção Geral de Segurança Interna, o DGSI).Segundo ele, o suspeito gritou "Allahou akbar" (Deus é grande) durante a ação. Foi uma discussão dele com um taxista que permitiu que ele fosse identificado. Ele levava uma arma de fogo e uma faca.

O suspeito ficou ferido ao trocar tiros com a polícia. Nas buscas, foram mobilizados 350 policiais e gendarmes, apoiados por dois helicópteros e soldados da operação militar de vigilância antiterrorista.

Quatro pessoas "próximas" de Chérif C. foram detidas durante a noite para interrogatório na cidade de leste da França.

Segundo o Ministério do Interior francês, Chérif se radicalizou na prisão. O secretário de Estado do Interior, Laurent Nuñez, afirmou que o atirador "defendia uma prática religiosa radical, mas nada indicava que poderia passar à ação".

Ministro do Interior da França Christophe Castaner (centro), o vice-prefeito de Estrasburgo Alain Fontanel (segundo, à esquerda) e o prefeito de Estrasburgo Jean-Luc Marx (à direita) — Foto: Sébastien Bozon / AFP Photo

O ministro do Interior da França, Christophe Castaner, anunciou o reforço o alerta antiterrorista no país para o nível "urgência por atentado" - o mais alto -, o que implica controle reforçado nas fronteiras, um aumento na segurança dos mercados de Natal e uma mobilização ainda maior do dispositivo antiterrorista em todo o território.