Conselho se reúne para discutir ações do setor agropecuário

Conselho se reúne para discutir ações do setor agropecuário

Porto Velho, RO - Com o objetivo de discutir estratégias para ações futuras no setor agropecuário em Porto Velho, a Subsecretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento (Semagric), coordenou a 3ª reunião do ano com representantes do Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural (CMDR). O encontro ocorreu no auditório do Banco da Amazônia (BASA), no centro de Porto Velho.

Para o subsecretário municipal de Agricultura e Abastecimento, Francisco Evaldo de Lima, a reativação do Conselho é essencial para a construção de ações que serão realizadas no município. “Esse grupo representa variados segmentos do setor produtivo da capital. Portanto, é um importante fórum para ouvir as demandas e buscar soluções”, destacou Evaldo.

Entre os assuntos discutidos, destacou a organização da Portoagro que, de acordo com o coordenador da Rondônia Rural Show, José Paulo Gonçales, tem tudo para dar certo, porque está se baseando nos mesmos moldes da RRS, numa configuraç~~ao diferente do que era a antiga expovel. “A Seagri vai dar todo apoio no que for possível para execução dessa feira que já é tradição na capital, e a Portoagro é um local onde os visitantes ficam sabendo que Porto Velho também têm potencial para grandes negócios”, comentou José Paulo.

Se não fossem os esforços e parcerias do setor produtivo, segundo o coordenador-geral da feira, Adélio Barofaldi, não seria possível a realização do evento, “Precisamos de um lugar fixo para realização da feira, para podermos criar um centro de negócios em Porto Velho. Precisamos sair da cultura do artesanal para a industrialização e as decisões desse conselho precisam ser colocadas em prática para ajudar aos produtores rurais de Porto Velho”, destacou Adélio.

Segundo o presidente do Basa, Wilson Carvalho da Silva Júnior, “o governo é muito claro quando seleciona as cadeias produtivas como pecuária de leite, corte, cacau, café, olericultura, fruticultura, suinocultura, avicultura, e esse conselho precisa ser transparente nas decisões. Precisamos ter inteligência coletiva e colocar em uma planilha os problemas apresentados e dar prazos para que os mesmos sejam solucionados. Porque tudo que estamos falando aqui, gera receita e minimiza problemas. Cabe a nós do conselho encontrar uma metodologia para cada vez que tivermos um diagnostico apresentarmos a solução com início, meio e fim, dessa forma ajudaremos o desenvolvimento do setor produtivo na capital”,afirmou Wilson.

CONSELHO

Ao todo, o Conselho reúne 26 entidades. São elas: Incra, Semagric, Sema, Basa, SFA, Seas, BB, Câmara Municipal de Porto Velho, Conab, Embrapa, Emater, Ceplac, Idaron e entidades não-governamentais.

Comente esta Notícia