Crivella queria se afastar da prefeitura para... cuidar da campanha do filho

Crivella queria se afastar da prefeitura para... cuidar da campanha do filho

O presidente da Câmara do Rio, Jorge Felippe (MDB), contou na quarta-feira (8), numa reunião, que foi procurado pelo prefeito Marcelo Crivella (PRB).

Queria o alcaide dedicar-se integralmente à campanha do filho, Marcelo Hodge Crivella, a deputado federal. Disse achar que Felippe também estaria devotado à reeleição de Jorge Felippe Neto, hoje deputado estadual. E propôs um acordo.

Que ambos tirassem dois meses de licença de seus cargos.

Assim, Tânia Bastos (PRB), vice-presidente da Câmara, assumiria a Prefeitura do Rio.

Felippe contou aos mais de dez ouvintes que respondeu ao prefeito com uma certa... surpresa.

Primeiro, porque achou que ambos seriam crucificados pela opinião pública.

E em segundo lugar, porque Tânia não assumiria a prefeitura.

De acordo com a Lei Orgânica do Município, na ausência do prefeito, do vice e do presidente da Câmara, quem fica no cargo é o presidente do Tribunal de Contas do Município (TCM).

A tarefa caberia ao conselheiro Thiers Montebello.