Em aldeia, um índio mata outro a pauladas e se diz arrependido

Em aldeia, um índio mata outro a pauladas e se diz arrependido

O indígena Vando Tsimytsa, da etnia Rikbaktsa, foi violentamente agredido na cabeça com um pedaço de madeira por outro índio na madrugada da última sexta-feira de 2017, após uma bebedeira. Ambos seguiam de moto para o município de Castanheira, onde Vando sacaria um dinheiro. Após receber, foram para um bar onde ingeriram pelo menos uma caixa de cerveja. No retorno, passaram em outro bar e compraram mais bebida.

A confusão começou quando o suspeito Cleidison Myty Rikibakta queria obrigar Vando a gastar todo o dinheiro e chegou a tomar a carteira do colega. A dona do estabelecimento obrigou o suspeito a devolver a carteira e Vando comprou mais cerveja para levar.

De volta para a aldeia, ambos discutiram e Cleidison, em posse de um pedaço de madeira, desferiu ao menos três golpes contra a vítima, que chegou a ser socorrida, mas, morreu no dia seguinte.

No início, o suspeito havia informado que os dois teriam sofrido um acidente, mas a versão foi logo desmentida e o suspeito, pressionado pela comunidade indígena, confessou à polícia que mentiu com medo dos familiares da vítima.

Ainda em depoimento, Cleidison negou ter subtraído dinheiro da vítima, e alegou ter cometido o crime por estar bêbado e se arrepende. Ele está  detido à disposição da justiça.

Os índios da etnia Rikibaktsa vivem em grande harmonia com o homem branco nos municípios frequentados por eles, como Juína e Brasnorte. É um povo querido pela comunidade.