Ex-secretária de educação Chaguinha contesta prefeito Hildon Chaves sobre aplicação do Proafem 

Ex-secretária de educação Chaguinha contesta prefeito Hildon Chaves sobre aplicação do Proafem 

Porto Velho, RO - A ex-secretária municipal de Educação de Porto Velho, Francisca das Chagas, a Chaguinha, contesta a declaração do prefeito da Capital Hildon Chaves (PSDB), o qual disse que há quatro anos não eram aplicados os recursos do Programa de Apoio Financeiro às Escolas Municipais (Proafem).

Essa declaração do prefeito foi dada durante entrevista em uma emissora de rádio de Porto Velho. Segundo Hildon, a administração dele já repassou uma parcela neste ano e até o dezembro será repassado mais uma. 

A ex-secretária Chaguinha disse que nunca deixou de repassar os recursos do Proafem. Aliás, segundo ela, são quatro o número de repasses que devem ser feitos para as escolas, pois isso é uma exigência da lei.

Segundo a ex-secretária, em 2013 foram repassadas cinco parcelas, isso porque, segundo ela, o ex-prefeito Roberto Sobrinho (PT) não tinha outros projetos para a educação, e para se livrar da responsabilidade desse dinheiro, repassou uma quinta parcela, que é uma alternativa legal.

O dinheiro do Proafem é para garantir a manutenção das escolas e cobrir despesas com rede elétrica, hidráulica, pintura e pequenas compras administrada pelos próprios diretores e pelo conselho que prestam conta dos serviços. 

Quanto à merenda escolar, o recurso também é federal e apenas as escolas cujo número de alunos não passa de 40 e por isso, não tem um conselho para administrar os recursos para prestação de contas, a própria prefeitura bancava essa merenda. 

"Nunca deixamos faltar merenda as essas escolas", comentou indignada a ex-secretária Chaguinha, com as declarações do prefeito do PSDB, que segundo ela, demostrou falta de informação no setor educacional e seus mecanismos, apenar se ser um empresário do ramo educacional. 

Atestado de incompetência 
Prefeito de Porto Velho diz que o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) da Capital é um atraso para Rondônia, pois, quando é somado ao IDEB dos demais 51 municípios, Rondônia fica abaixo da média Nacional. Quando tira Porto Velho, Rondônia sobe no ranking.

Hildon disse que a Fundação Lemann fará uma consultoria para a elaboração de projetos para melhorar a educação da Capital. Segundo o prefeito, esse trabalho é gratuito, pois Porto Velho é uma das três cidades no país escolhida para essa atividade voluntária da Fundação Lemann.