Fake News contra governador eleito do Rio Grande do Sul se espalha por todo Brasil via WhatsApp

Fake News contra governador eleito do Rio Grande do Sul se espalha por todo Brasil via WhatsApp

Porto Velho, RO - O governador eleito do Rio Grande do Sul Eduardo Leite (PSDB) está sendo vítima de FAKE NEWS em todo o Brasil com aúdios em Grupos de WhatsApp com uma foto e aúdios falando das tradições gaúchos e das piadas contra gaúchos, onde gaúchos afirmam que ele é casado com outro homem, na verdade a pessoa da foto é seu irmão. 

Mas depois das eleições as Fake News contra o governador eleito estão circulando em todo o Brasil e ganhando  e aumentando as piadas contra gaúchos. As fake news homofóbicas se tornaram um dos principais problemas das eleições 2018.

Método bastante utilizado por Jair Bolsonaro que propagou a torto e a direita mentiras sobre um tal de “kit gay” para tentar difamar seu adversário Fernando Haddad, o também candidato ao governo do Rio Grande do Sul também foi vítima de notícias mentirosas e carregadas de homofobia.

Para tentar “manchar” a imagem de Eduardo Leite (PSDB), que liderava e foi eleito a corrida pelo governo local, oposicionistas passaram a compartilhar uma imagem que mostra Leite ao lado de um de seus irmãos, induzindo os eleitores a pensar que eles formam um casal gay.

“É isto que queremos para o Rio Grande? O primeiro governador homossexual do Brasil”, diz o texto acompanhado da imagem que o tucano na companhia do irmão.

Para desmentir a informação, Eduardo Leite passou a veicular a foto original, que mostra ele ao lado dos dois irmãos e de sua mãe.

 



Eduardo Leite

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Saltar para a navegaçãoSaltar para a pesquisa

Eduardo Leite

Governador do Rio Grande do Sul
(eleito)
Período assumirá em 1º de janeiro de 2019
Vice-governador Ranolfo Vieira Júnior
Antecessor(a) José Ivo Sartori
36.º Prefeito de Pelotas
Período 1º de janeiro de 2013
até 1º de janeiro de 2017
Vice-prefeita Paula Mascarenhas
Antecessor(a) Fetter Júnior
Sucessor(a) Paula Mascarenhas
Presidente da Câmara de Vereadores de Pelotas
Período 1º de janeiro de 2011
até 1º de janeiro de 2013
Vereador de Pelotas
Período 1º de janeiro de 2009
até 1º de janeiro de 2013
Dados pessoais
Nascimento 10 de março de 1985 (33 anos) 
PelotasRio Grande do Sul
Progenitores Mãe: Eliane Figueiredo
Pai: José Luiz Marasco Cavalheiro Leite
Alma mater Universidade Federal de Pelotas
Partido PSDB

Eduardo Figueiredo Cavalheiro Leite (Pelotas10 de março de 1985) é um bacharel em direito e político brasileiro. Filiado ao Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), foi eleito governador do Rio Grande do Sulnas eleições estaduais de 2018. Anteriormente, fora prefeito de Pelotas de 2013 a 2017.

Família e educação

Eduardo Leite é o filho mais jovem da professora de Ciências Políticas Eliane e do advogado José Luiz Marasco Cavalheiro Leite, conhecido como "Marasco"[1][2]. Seu pai concorreu à Prefeitura de Pelotas em 1988, pelo PSDB, quando ficou na última colocação.[3] Eduardo é bacharel em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade Federal de Pelotas.[4]

Carreira política

Início

Eduardo iniciou sua carreira política no movimento estudantil secundarista, sendo presidente do grêmio estudantil do Colégio São José.[5] Na eleição de 2004, quando tinha dezenove anos de idade, concorreu a Vereador, obtendo 2 937 votos e ficando na primeira suplência.[6][7] Após a eleição, integrou a Secretaria Municipal de Cidadania durante o governo de Bernardo de Souza, e foi chefe de gabinete do prefeito Fetter Júnior.[8]

Concorreu novamente ao cargo de vereador nas eleições municipais de 2008, sendo desta vez eleito com 4 095 votos.[9] No Legislativo, apresentou projetos de lei sobre transparência nos gastos públicos, o Código de Ética da Câmara, e o da publicação e redução das diárias do legislativo municipal.[10] Além disso, foi o líder da bancada do PSDB e presidente da Câmara Municipal em 2011.[8]

Concorreu, sem sucesso, a deputado estadual nas eleições estaduais de 2010, obtendo 21 372 votos.[11]

Prefeito de Pelotas

Nas eleições municipais de 2012, candidatou-se a prefeito de Pelotas pela coligação Pelotas de Cara Nova.[12] A candidata a vice-prefeita foi a professora de ensino superior Paula Mascarenhas, do PPS.[13] Eduardo apresentou-se com um discurso de inovação, e tinha como prioridades a saúde e a educação.[8] Em julho, uma pesquisa do Correio do Povo, realizada juntamente com o Instituto Methodus, mostrou Eduardo em terceiro lugar, com 16,8%.[14] Em setembro, Eduardo tinha 33,3% das intenções de votos, passando a liderar nas pesquisas.[14] No primeiro turno, recebeu 77 026 votos (39,89%), classificando-se para o segundo turno com o petista Fernando Marroni.[15] No segundo turno, manteve o favoritismo e foi eleito com 110 823 votos (57,15%), a maior votação da história da cidade.[16][15]

Em 1º de janeiro de 2013, Eduardo assumiu o cargo em uma cerimônia realizada na Praça Coronel Pedro Osório, tornado-se o prefeito mais jovem da história de Pelotas.[16][17] Em 26 de maio de 2016, na mesma semana em que pesquisas indicavam aprovação de 60% de seu governo e, de igual modo, apontá-lo como principal nome para o pleito de 2016, Eduardo anunciou que não concorreria à reeleição, dando lugar à sua vice, Paula Mascarenhas.[18][19] Ela foi eleita no primeiro turno com 59,86% dos votos.[20]

Presidente do PSDB-RS e eleições de 2018

Em 11 de novembro de 2017, Eduardo Leite foi eleito presidente do PSDB do Rio Grande do Sul em uma convenção realizada pelo partido.[21] Neste mesmo evento, foi escolhido como o pré-candidato do PSDB ao Governo do Rio Grande do Sul para a eleição de 2018.[22] Anteriormente, havia anunciado que seria candidato a deputado federal, e o governador José Ivo Sartori considerava Leite a melhor opção para integrar sua chapa, como candidato a vice-governador, em 2018.[23][24] No início de agosto de 2018, sua candidatura ao governo do Estado foi confirmada pelos tucanos, tendo também o apoio de PP, PTB, PRB, PPS, PHS e REDE.[25][26][27] Em 7 de outubro, classificou-se para o segundo turno contra o governador; Eduardo recebeu 35,9% dos votos e Sartori, 31,1%, uma diferença de 286 mil votos a favor do tucano.[28] Em 28 de outubro, elegeu-se governador com 53,62% dos votos válidos.[29]

Referências

  1. Ir para cima↑ «'O prefeito precisa ter disposição para ouvir', diz eleito em Pelotas». G1. 29 de outubro de 2012. Consultado em 13 de setembro de 2013.
  2. Ir para cima↑ Rosane de Oliveira (28 de outubro de 2012). «Conheça Eduardo Leite, o prefeito eleito de Pelotas». Zero Hora. Consultado em 13 de setembro de 2013.
  3. Ir para cima↑ «Ata geral da apuração das eleições municipais de Pelotas» (PDF). Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul. 15 de novembro de 1988. Consultado em 13 de setembro de 2013.
  4. Ir para cima↑ «Eduardo Leite (PSDB) vence eleição em Pelotas (RS) e mantém coligação no poder». Uol. 28 de outubro de 2012. Consultado em 13 de setembro de 2013.
  5. Ir para cima↑ «Aos 27 anos, candidato do PSDB vence a disputa em Pelotas»Agência Brasil. Exame. 28 de outubro de 2012. Consultado em 13 de setembro de 2013.
  6. Ir para cima↑ «Aos 27 anos, Eduardo Leite é eleito prefeito de Pelotas (RS)». EBC. 29 de outubro de 2012. Consultado em 13 de setembro de 2013.
  7. Ir para cima↑ «Placar RS/ Pelotas». Uol. Consultado em 13 de setembro de 2013.
  8. ↑ Ir para:a b c Felipe Truda (28 de outubro de 2012). «Eduardo Leite, do PSDB, é eleito para a Prefeitura de Pelotas». G1. Consultado em 13 de setembro de 2013.
  9. Ir para cima↑ «Pelotas / RS». Uol. Consultado em 13 de setembro de 2013.
  10. Ir para cima↑ «Pelotas é a única cidade gaúcha que terá segundo turno». Zero Hora. 7 de outubro de 2012. Consultado em 13 de setembro de 2013.
  11. Ir para cima↑ «Resultados: Rio Grande do Sul: Deputado Estadual». Terra. Consultado em 13 de setembro de 2013.
  12. Ir para cima↑ «Candidatos: Eduardo Leite - 45». Uol. Consultado em 13 de setembro de 2013.
  13. Ir para cima↑ «Candidatos: Paula Mascarenhas - 45». Uol. Consultado em 13 de setembro de 2013.
  14. ↑ Ir para:a b «Eduardo Leite lidera em Pelotas com 33,3% das intenções de voto». Correio do Povo. 27 de setembro de 2012. Consultado em 13 de setembro de 2013.
  15. ↑ Ir para:a b «Resultados:Pelotas». G1. Consultado em 13 de setembro de 2013.
  16. ↑ Ir para:a b «Mais jovem prefeito de Pelotas, Leite tomará posse em praça esta noite». G1. 1º de janeiro de 2013. Consultado em 13 de setembro de 2013.
  17. Ir para cima↑ Guilherme Canal (1º de janeiro de 2013). «Em cerimônia 'grega', Eduardo Leite toma posse em praça de Pelotas». G1. Consultado em 13 de setembro de 2013.
  18. Ir para cima↑ Vera Magalhães (27 de maio de 2016). «Líder nas pesquisas, prefeito de Pelotas abre mão de reeleição pela vice». Veja. Consultado em 22 de junho de 2016.
  19. Ir para cima↑ «Eduardo Leite lidera disputa em Pelotas, aponta pesquisa». Correio do Povo. 18 de maio de 2016. Consultado em 22 de junho de 2016.
  20. Ir para cima↑ «Paula Mascarenhas, do PSDB, é eleita no 1º turno em Pelotas, RS»G1. Globo. 2 de outubro de 2016. Consultado em 17 de outubro de 2016.
  21. Ir para cima↑ «Eduardo Leite é o novo presidente do PSDB/RS». Zero Hora. 11 de novembro de 2017. Consultado em 19 de novembro de 2017.
  22. Ir para cima↑ «PSDB-RS anuncia Eduardo Leite como pré-candidato a governador». G1. 11 de novembro de 2017. Consultado em 19 de novembro de 2017.
  23. Ir para cima↑ Luiz Augusto Kern (2 de agosto de 2017). «Ex-prefeito de Pelotas admite possível disputa ao Piratini». Correio do Povo. Consultado em 19 de novembro de 2017.
  24. Ir para cima↑ Fábio Schaffner (8 de outubro de 2017). «Rumo ao Piratini: quem são e como se articulam os pré-candidatos ao governo do RS». Zero Hora. Consultado em 19 de novembro de 2017.
  25. Ir para cima↑ Luiz Sérgio Dibe (11 de novembro de 2017). «Eduardo Leite é eleito presidente estadual do PSDB». Correio do Povo. Consultado em 19 de novembro de 2017.
  26. Ir para cima↑ «PSDB confirma a candidatura de Eduardo Leite ao governo do RS». G1. 5 de agosto de 2018. Consultado em 18 de agosto de 2018.
  27. Ir para cima↑ «Eduardo Leite». Divulgacand. Consultado em 23 de setembro de 2018.
  28. Ir para cima↑ «Mapa da apuração por estado: Rio Grande do Sul». G1. 7 de outubro de 2018. Consultado em 27 de outubro de 2018.
  29. Ir para cima↑ «Eleições 2018, segundo turno: Rio Grande do Sul». Uol. 28 de outubro de 2018. Consultado em 28 de outubro de 2018.