Famosos fazem campanha contra censura após polêmica com a mostra 'Queermuseu' e a performance com nu no MAM

São Paulo, SP - Fabiana Karla, Reynaldo Gianecchini, Carolina Ferraz, Cissa Guimarães e outros famosos usaram suas redes sociais para compartilhar vídeos que integram uma campanha contra a censura iniciada neste final de semana. Para isso, eles estão usando hashtag "342artes", projeto "contra a censura e difamação".

As imagens e os depoimentos são um manifesto após a polêmica gerada pela mostra "Queermuseu", em Porto Alegre, a performance com nu no MAM, em São Paulo, e a exposição de Pedro Moraleida, em Belo Horizonte. Em um dos vídeos compartilhados, Caetano Veloso aparece convocando a população para um protesto no Palácio das Artes, em BH, em apoio a Pedro Moraleida.

No dia 10 de setembro, a exposição "Queermuseu" foi cancelada em Porto Alegre, após protestos e ataques nas redes sociais e no próprio interior do museu Santander Cultural. Algumas imagens da mostra foram consideradas ofensivas por pessoas que classificam o conteúdo como um "incentivo à pedofilia, zoofilia e contra os bons costumes". Quase um mês depois, o Museu de Arte do Rio (MAR) cancelou as negociações da compra da exposição.

Já em São Paulo, a performance do artista fluminense Wagner Schwartz, que se apresentou nu na performance “La Bête”, no Museu de Arte Moderna (MAM), no Ibirapuera, Zona Sul de São Paulo, gerou grande polêmica após circular uma imagem de uma criança interagindo com o artista.

No final de semana, a exposição de Pedro Moraleida, já vista por mais de seis mil pessoas, foi alvo de protestos em Belo Horizonte. Grupo de religiosos afirmam que as obras incentivam a pornografia e a pedofilia. Segundo o Palácio das Artes, a exposição é destinada a maiores de 18 anos.

"Somos muitas vozes que não aceitam a censura e a difamação", escreveram Reynaldo Gianecchini e Carolina Ferraz em seus posts, usando o lema da campanha. "Liberdade. Pelo caminho natural das coisas", escreveu o ator Renato Goes.

Em um vídeo compartilhado por diversos outros artistas, Fernanda Montenegro aparece discursando: "Tudo é cultura, inclusive a cultura de repressão. Mas só há um tipo de cultura que realmente constrói um país: é a cultura da liberdade. A cultura liberta cria a alma de uma nação. Nessa nossa luta de sobrevivência cultural, peço aos poucos e honestos políticos que ainda existem, que se posicionem. Saiam, por favor desse silencio acovardado. Do contrário, nem a pele desses políticos vai se salvar".

Nas últimas semanas, muitos artistas e políticos usaram as redes sociais para se manifestar contra e a favor da exposição "Queermuseu" e da performance "La Bête".