Gerentes do BB em Rondônia relatam clima de terror implantado pelo novo superintendente, denuncia SEEB

Gerentes do BB em Rondônia relatam clima de terror implantado pelo novo superintendente, denuncia SEEB

Nesta segunda-feira, por meio de sua assessoria de imprensa, o O Sindicato dos Bancários e Trabalhadores do Ramo Financeiro de Rondônia (SEEB-RO) encaminhou para a imprensa a seguinte denúncia: 

O Sindicato dos Bancários e Trabalhadores do Ramo Financeiro de Rondônia (SEEB-RO) encaminhou nesta segunda-feira 16/10, o ofício nº 237/2017 à Divisão de Coordenação e Apoio às Gepes (DIPES), relatando a gravidade da situação que estaria ocorrendo em todas as unidades do Banco do Brasil, análoga a assédio moral coletivo no trabalho. O problema está sendo causado pela postura truculenta, desrespeitosa e ameaçadora do superintendente do banco em Rondônia, que tomou posse há pouco mais de um mês.

No ofício o Sindicato relata que tem recebido inúmeros relatos de gerentes gerais e de contas/carteiras sobre a postura do novo superintendente do Banco do Brasil em Rondônia, que age de forma caracterizada como abusiva e ofensiva em relação aos subordinados, impondo metas absurdas e irrealizáveis, sendo que, constantemente, cobra por telefone ou mensagens, os resultados, quase sempre de forma agressiva e ameaçadora.

No documento o Sindicato relatou alguns tipos de situações que tornaria o referido gestor um verdadeiro chefe troglodita, como na primeira reunião gerencial quando o novo superintendente fez questão de relatar que a última medida dele, no último dia de trabalho no posto anterior que ocupou, foi descomissionar um gerente por produtividade. Nesta mesma reunião, ele “alertou” sobre a importância de se cumprir as metas sob pena de “degola” e para não deixar dúvidas, ele colocou a mão em posição de continência e a passou pelo pescoço, no clássico gesto que significa “rolar cabeças”.

Outra característica que chama a atenção é de que, diferente de superintendentes anteriores, este cobra não só os gerentes gerais, mas liga diretamente para os gerentes de carteiras, fazendo a mesma pressão agressiva e desrespeitosa. Além disso, já virou "folclore de terror" entre os gerentes, as visitas que o superintendente faz às agências, onde vistoria desde o capacho (tapete na entrada) até a limpeza e organização das unidades, não raro chamando ainda a atenção do gerente na frente de todos, em alto e bom som.

O SEEB-RO destaca que existem inúmeros outros relatos, sendo que alguns não foram colocados no ofício para evitar uma possível identificação e retaliação das fontes. O Sindicato alerta à DIPES para que tome imediatas providências para coibir e eliminar esse clima de terror implantado recentemente em Rondônia, caso contrário estas denúncias serão levadas ao Núcleo Pró-dignidade da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE), ao Ministério Público do Trabalho (MPT) e imprensa.

Como estamos na era da tecnologia, onde quase tudo fica registrado, há inúmeros áudios, print's e até vídeos que comprovam essa atuação abusiva do novo superintendente, mas os gerentes tem receio de passar pelo risco de eventual identificação. Mas, certamente, quando esse novo gestor iniciar a prometida “degola”, muita coisa deverá surgir, inclusive nas redes sociais (Fonte e texto: SEEB/RO).

Nota da redação: A reportagem do Tudorondonia tentou contato , por telefone, com a Superintendência do Banco do Brasil em Rondônia, mas não conseguiu. O jornal eletrônico encaminhou, então,  pedido de esclarecimento por meio do site do Banco do Brasil, na área de imprensa (http://www.bb.com.br/pbb/pagina-inicial/imprensa/contatos#/),  mas,  até o fechamento desta reportagem,  não obteve resposta.