Novidade nestas eleições, 'vaquinha' eleitoral arrecada R$ 11 milhões a candidatos

Novidade nestas eleições, 'vaquinha' eleitoral arrecada R$ 11 milhões a candidatos

O financiamento coletivo, também chamado de "vaquinha", arrecadou R$ 11.359.919,32 a candidatos nestas eleições. Por enquanto, 1.490 candidatos declararam à Justiça Eleitoral ter recebido recursos dessa forma. Dentre eles, 10 dos 13 presidenciáveis informaram ter recebido R$ 2.263.454,13 por "vaquinha" eleitoral. Os dados são do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

A arrecadação de recursos pela "vaquinha" está permitida desde 15 de maio deste ano, ainda no período pré-eleitoral. Segundo o TSE, por enquanto, 25 empresas de financiamento coletivo, habilitadas pelo órgão, coletaram o dinheiro a candidatos. O montante só foi liberado aos candidatos após a apresentação do registro de candidatura à Justiça Eleitoral, feita até 15 de agosto.

As regras para o financiamento coletivo foram definidas pelo TSE em fevereiro deste ano. Na época, a resolução do TSE estabeleceu o limite de R$ 1.064,10 por doador pela modalidade "vaquinha". As doações acima desse valor devem ser feitas sem a "intermediação de terceiros". As doações eleitorais por empresas foram proibidas em setembro de 2015.

Por enquanto, o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) foi o que mais recebeu dinheiro por financiamento coletivo. Bolsonaro conseguiu R$ 1,1 milhão, segundo os dados do TSE. O ex-presidente Lula, que teve a candidatura indeferida, aparece em 2º lugar, com R$ 598,1 mil arrecadados.

Ao G1, a candidatura de Fernando Haddad (PT), que substitui Lula na chapa, afirma que está "fazendo a tramitação junto ao TSE" para o dinheiro ser transferido para a campanha de Haddad. A assessoria diz também que a "vaquinha" de Haddad entrou no ar em 18 de setembro. A arrecadação do financiamento coletivo de Haddad, porém, ainda não foi informada ao TSE.

Além de Haddad, apenas os candidatos a presidente Eymael (DC) e Henrique Meirelles (MDB) não declararam ao TSE, por enquanto, ter recebido dinheiro por financiamento coletivo. Veja os valores:

Arrecadação de presidenciáveis por "vaquinha": valores informados ao TSE até 3 de outubro de 2018 — Foto: Alexandre Mauro / G1

A análise do G1, com base nos números do TSE, identificou nove candidatos que receberam mais de R$ 100 mil pela "vaquinha" eleitoral. Nesse grupo, Marcel van Hatten (Novo) é o único na disputa por uma vaga de deputado federal. O candidato pelo Rio Grande do Sul registrou R$ 137,8 mil por financiamento coletivo. Já o candidato Alexandre Curi (PSB) teve a maior arrecadação em "vaquinha" na corrida por uma cadeira na Assembleia Legislativa. Conseguiu R$ 135,6 mil.

Candidatos que mais receberam recursos por "vaquinha"

Candidato Partido UF Cargo Valor (em R$)
Jair Bolsonaro PSL BR Presidente 1.140.113,00
Lula * PT BR Presidente 598.104,39
João Amoêdo Novo BR Presidente 466.576,87
Marina Silva Rede BR Presidente 317.522,00
Paulo Skaf MDB SP Governador 292.202,52
Marivaldo Pereira PSOL DF Senador 236.776,00
Ciro Gomes PDT BR Presidente 195.805,00
Marcel van Hattem Novo RS Deputado Federal 137.834,69
Alexandre Curi PSB PR Deputado Estadual 135.550,00

Fonte: TSE / *candidato indeferido

Apenas 203 dos 1.490 candidatos – o equivalente a 13,6% – receberam mais de R$ 10 mil por financiamento coletivo. Esses candidatos são filiados, principalmente, a Novo (42), PSOL (35) e PT (31). O Novo foi também o recordista em arrecadação por "vaquinha". Juntos, todos os candidatos da sigla conseguiram quase R$ 2 milhões.

O PT e o PSOL aparecem logo depois com os candidatos que somaram mais recursos via "vaquinha". Cada um arrecadou R$ 1,7 milhão por financiamento coletivo. O PSL foi o quarto partido que mais coletou dinheiro na modalidade. O montante é de R$ 1,6 milhão (mais da metade para a candidatura de Bolsonaro).

Partidos que mais arrecadaram por "vaquinha"

Partido Valor (em R$)
Novo 2.039.873,24
PT 1.666.953,18
PSOL 1.654.288,96
PSL 1.562.520,91
Rede 677.781,15
PSB 648.753,48
PDT 581.888,06
MDB 398.740,62
PPS 384.842,45
PSDB 365.603,48

Fonte: TSE