Polícia Federal combate fraudes em instituto de Previdência; Quatro mandados de prisões são confirmados

Polícia Federal combate fraudes em instituto de Previdência; Quatro mandados de prisões são confirmados

Porto Velho/RO – A Polícia Federal, com apoio de auditores da Previdência Social, deflagrou nesta segunda-feira, 12, a Operação Imprevidência, que tem como objetivo desarticular uma organização criminosa dedicada à prática dos crimes de gestão fraudulenta e corrupção ativa, com atuação junto aos Institutos de Previdência de Porto Velho (Ipam) e também de outros cinco municípios de Rondônia.

Setenta e três policiais federais deram cumprimento a 30 mandados judiciais, sendo quatro de prisão temporária, 19 de busca e apreensão, além de sete de condução coercitiva. Os mandados foram cumpridos nos estados de São Paulo e Rondônia. A Justiça Federal também determinou o afastamento do Presidente do Ipam e a proibição de cinco investigados frequentarem o local.

A investigação apurou que uma organização criminosa, formada por empresários, corretores de investimentos, lobistas e servidores públicos atuou com o fim de viabilizar a realização de aplicação de 80 milhões de reais do Ipam em fundos de investimentos “podres”, como contrapartida pela injeção de valores na campanha de reeleição do prefeito de Porto Velho.

Para atingir o objetivo, a organização criminosa procurou pressionar e corromper servidores públicos, mediante o oferecimento de propina. A organização criminosa pretendia captar 250 milhões de reais junto aos institutos de previdência de municípios de Rondônia para investi-los em fundos “podres”. Os investigados responderão, na medida das responsabilidades, pelos crimes de organização criminosa, gestão fraudulenta e corrupção ativa.

Discriminação dos mandados

São Paulo: São Paulo (duas buscas), Campinas (uma condução e uma busca), Jundiaí (uma prisão temporária e uma busca), Cajamar (uma prisão temporária, uma condução e três buscas).

Rondônia: nas cidades de Porto Velho (duas prisões temporárias, quatro conduções e 10 buscas), Ji-Paraná (uma condução e duas buscas).

ADVOGADO
A operação Imprevidencia da Policia Federal em Porto Velho, que tem como alvo a gestão do IPAM também realiza neste momento, uma ação de busca e apreensão de documentos num escritorio de advocacia no centro da capital.

As seis horas da manhã, agentes federais entraram no escritório do advogado Agnaldo Muniz. Não se sabe que o advogado Muniz, que também é politico, é o alvo principal ou algum advogado associado está na mira dos federais. Outros pontos da capital são alvos, entre eles a empresa ideia Comunicação, a casa de Gilson Nazif ( irmão do prefeito) e a sede do IPAM - Instituto de Previdencia Municipal.

VÍDEO

Comente esta Notícia