Por que Lula lidera?

Por que Lula lidera?

Segundo as últimas pesquisas divulgadas pelo Ibope, Lula está à frente de todos os concorrentes à Presidência da República com folgados 37 por cento das intenções de voto. Isso é mais do que o dobro do segundo colocado. E continua subindo na preferência popular. Pode, segundo alguns analistas, levar a fatura ainda no primeiro turno das eleições.

Só que Lula não é candidato, pois além de estar preso em Curitiba, deve cumprir pelo menos 12 anos da pena a que foi condenado por lavagem de dinheiro e corrupção no caso do Tríplex do Guarujá. Há ainda vários outros processos a que terá de responder. É, portanto, ficha suja e por isso não poderá concorrer a nada. Está fora de toda e qualquer disputa eleitoral. Mas ainda assim, para desespero dos reacionários, dispara nas pesquisas e desbanca todos os outros presidenciáveis.

Milagre? Fenômeno? Enfim, qual o fato “tão fora do comum” que está fazendo com que grande parte do eleitorado brasileiro queira votar num presidiário? Será que a Operação Lava Jato fracassou na sua tentativa de querer ser a palmatória do mundo? Será que o juiz Sérgio Moro e sua equipe não conseguiram se livrar da acusação de que só prendem petistas e deixam os tucanos livres?

Aécio Neves, Alckmin, Beto Richa e José Serra continuam incólumes. Nada até agora parece que lhes incomoda. Lula é um notório corrupto e se não roubou, pelo menos deixou roubar. E muitos roubaram mesmo, sem dó nem piedade. Com a anuência e o patrocínio dos petistas e sempre com o Lula à frente, instalaram o Mensalão, saquearam o Estado, montaram um dos maiores esquemas de ladroagem ao Erário, quebraram a Petrobras. Lula e o PT fizeram muito mal ao país.
Há suspeitas inclusive de que seus filhos ficaram todos ricos e milionários depois que o “sapo barbudo” subiu e ascendeu na política.

Mas por que a adoração em massa ao ex-presidente? Boa pergunta.

Os atuais presidenciáveis poderiam procurar saber onde reside tanta popularidade do Lula e começarem, se eleitos, a fazer o que ele fez quando passou oito anos à frente do poder. Lula e o PT fizeram a sua sucessora, que foi eleita e reeleita até ser retirada do Planalto à força num golpe inusitado. O metalúrgico deixou o poder com mais de 80% de popularidade, algo jamais visto neste país. Michel Temer, o “vampiro impopular” colocado no lugar da Dilma depois do golpe de 2016, patina hoje com menos de três por cento de popularidade. PSDB, MDB e outros tantos partidos golpistas querem hoje é distância do atual presidente do país.

Lula lidera as pesquisas e se pudesse ser candidato ganharia ainda no primeiro turno porque sempre olhou para os pobres. Não tinha medo deles. Estava com eles em todos os seus programas como Fome Zero, Universidade para todos, Minha Casa Minha Vida, Mais Médicos, transposição do rio São Francisco, Programa de Aceleração do Crescimento, dentre outros. O eleitorado do Brasil tem mais de 80% de pobres e miseráveis e Lula, mesmo tendo roubado deles, não se esqueceu dos mesmos. Apenas deu-lhes migalhas, por isso muitos deles hoje matam e morrem por Lula e pelo PT.

Valorizar o pobre é uma coisa que os governos da elite nunca fizeram. Só roubavam e nada dividiam com os mais necessitados. O raciocínio é simples e bem brasileiro: rouba, mas faz. E como todos roubam, é melhor apoiar aqueles que roubam e dividem com
todos. E se petista vota no PT e em quem o PT mandar, já se sabe quem vai ser eleito.

*É Professor em Porto Velho.