Prefeita e marido fazem biometria, mas são impedidos de retirar título eleitoral

Prefeita e marido fazem biometria, mas são impedidos de retirar título eleitoral

O primeiro-casal de Vilhena enfrentou um contratempo na semana passada, quando compareceu à Biblioteca Municipal a fim de se submeter ao recadastramento eleitoral, indispensável para quem quiser participar do pleito do ano que vem, concorrendo ou apenas votando.

Embora tenham se submetido à coleta de dados, o ex-prefeito Melki Donadon (PTB) e sua esposa, a prefeita Rosani Donadon (PMDB), não puderam retirar seus títulos eleitorais. Melki já anunciou que pretende concorrer a deputado federal em 2018 e estaria estudando trocar o PTB por outro partido.

Entrevistado pelo FOLHA DO SUL ON LINE, um aliado dos mandatários explicou que o documento do casal foi retido em virtude de uma condenação dos dois em 2008, quando Melki concorria a prefeito e Rosani era sua vice. Além da penalidade, os dois foram multados em R$ 28 mil por crime eleitoral e parcelaram o débito. Os títulos serão entregues quando eles quitarem toda a multa.

Apesar do transtorno, o aliado dos Donadon garante: eles poderão votar e ser votados nas próximas eleições.