Prefeitar é diferente de prestar serviço comunitário Por Bruno Rocha

Prefeitar é diferente de prestar serviço comunitário Por Bruno Rocha

Porto Velho, RO - Sempre presto atenção nas notícias políticas de PVH, nos sites e na timeline dos muitos amigos que tenho por aí, que reproduzem aqui no facebook muitas dessas reportagens.

A atitude do prefeito de não querer receber salário é muito suspeita pra mim.

Como posso acreditar que uma pessoa em sã consciência presta um serviço público de alta complexidade, que exige tempo e comprometimento se negando a receber sua remuneração por isso?

No mínimo ele deve estar faturando alto por fora, ou espera levar vantagens indevidas por esse serviço prestado. Digo novamente, ninguém em sã consciência se presta a trabalhar de graça.

Prefeitar é diferente de prestar serviço comunitário, gerir coisa pública é diferente de um trabalho social não remunerado. Minha gente, abram bem os olhos.

Esse tipo de político é o mais perigoso. Comprar meia dúzia de veículos de imprensa que o pintam como exemplo é um mal começo. Além de tudo, outra tomada de decisão, que é o enxugamento da máquina pública, remanejamento de funcionários públicos, que deveria ser o trabalho comum de qualquer prefeito que se preze está sendo colocado como uma marca de austeridade, uma marca de competência, quando não é.

Isso é um trabalho que qualquer administrador tem obrigação de fazer.

Cuidado pra não chamar Genésio de Jesus!!!

Prestem atenção quais veículos de imprensa estão divulgando as notas da assessoria da prefeitura, é um bom indício pra saber que ali tem uma mancha marrom.

Bruno Rocha é poeta, compositor e cursou Ciências Sociais pela UNIR.

Comente esta Notícia