Sem unidade e temendo a derrota, governo cancela reunião de líderes sobre vetos presidenciais

Sem unidade e temendo a derrota, governo cancela reunião de líderes sobre vetos presidenciais

Porto Velho, RO -  O líder do governo no Congresso, senador Eduardo Gomes (MDB-TO), mandou cancelar a reunião de líderes da Câmara e do Senado agendada para esta terça-feira (8). 

No encontro entraria em pauta o debate sobre os vetos presidenciais pendentes de análise no Congresso, entre eles os do pacote anticrime e o da desoneração da folha de pagamentos.

O líder do PSL no Senado, Major Olimpio (SP), disse que um dos motivos para o cancelamento foi a falta de acordo sobre o veto da desoneração da folha de pagamentos. A manutenção do benefício para as empresas até 2021 foi incluída no texto de uma medida provisória pelo Congresso. O governo, no entanto, defende a regra atual, que prevê que a desoneração valerá até o fim deste ano, informa O Estado de S.Paulo.

Segundo o líder da Rede no Senado, Randolfe Rodrigues (AP), o adiamento da discussão é uma ação “coordenada” entre o governo e o presidente da Casa, Davi Alcolumbre (DEM-AP), para adiar a análise do veto. O senador considera que o governo pretende adiar o máximo possível a deliberação em plenário sobre o veto. 

O próprio líder do governo, Eduardo Gomes, admite a derrota de Bolsonaro com a queda do veto. À espera de uma melhor oportunidade para continuar os entendimentos, ainda não há uma nova data para a reunião de líderes.

Também não há acordo em relação aos vetos à lei anticrime, bandeira do ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro. Entre os dispositivos vetados pelo presidente Jair Bolsonaro e que podem ser resgatados pelo Congresso, está o que triplica a pena para crimes contra honra quando são cometidos pela internet.