Taxistas protestam contra projeto de lei que proíbe transporte intermunicipal em RO

Taxistas protestam contra projeto de lei que proíbe transporte intermunicipal em RO

Ji-Paraná, RO - Centenas de taxistas fizeram um protesto, nesta sexta-feira (6), contra um projeto de lei que proíbe o transporte intermunicipal de táxi em Ji-Paraná (RO), cidade situada a cerca de 370 quilômetros de Porto Velho.

Conforme os taxistas, a manifestação é contra um um Projeto de Lei (PL), que já entrou em pauta para ser votado no Senado. De acordo com os taxistas, este projeto proíbe o transporte intermunicipal realizado por táxis e ônibus.

Segundo o presidente da associação de taxistas de Ariquemes e região, Renato Daveli, o projeto trata o transporte intermunicipal feito por taxistas como clandestino e vai prejudicar a categoria e também outras de transportes.

O taxista Eduardo de Castro saiu da capital Porto Velho para se manifestar em Ji-Paraná. Para Castro, a nova lei pode levar extinguir a categoria.

“Se isso ocorrer, praticamente o serviço de táxi vai acabar. O interior ainda não sofre com o transporte por aplicativo, que é um transporte clandestino”, afirma.

Segundo a organização, durante a tarde os taxistas realizaram uma carreata de forma pacífica pelas principais avenidas da cidade, nos dois distritos de Ji-Paraná.

Opinião pública

A maquiadora profissional Elilian Pardim conta que já utilizou o transporte intermunicipal feito pelos taxistas e discorda da implantação da nova lei, pois pode monopolizar e prejudicar os passageiros.

Para a maquiadora, o transporte feito pelos táxis oferece horário e preços mais flexíveis.

“A gente não sabe o que as linhas de transporte rodoviário vão ganhar com isso e eles podem muito bem aumentar o preço depois disso”, acredita.

Autor do projeto

Em uma rede social, o senador Acir Gurgacz (PDT), idealizador do projeto, afirmou que a lei não muda o Código de Trânsito Brasileiro e trata de segurança, da legalidade no transporte público.

Segundo o senador, a proposta de trabalhar fora da lei oferece riscos à população e uma concorrência desleal com as empresas que trabalham dentro da lei.