Vídeo; Laudo diz que acadêmica foi assassinada por enforcamento; família pede empenho da Polícia e Justiça

Vídeo; Laudo diz que acadêmica foi assassinada por enforcamento; família pede empenho da Polícia e Justiça

O laudo da morte da acadêmica Silvia Santos Souza, 39 anos, atesta que ela foi assassinada por asfixia mecânica. Até então, o assassino confesso, ex-namorado da vítima, Jorge Martins, havia relatado que desferiu facadas na estudante de estética e cosmética da Fimca em Porto Velho. A declaração de óbito, com base em necropsia, é assinada pelo médico Murilo Sérgio Valente Aguiar.

O criminoso se apresentou à Polícia nesta segunda-feira, prestou depoimento, mas acabou liberado por não constar mandado de prisão.

Durante a noite, familiares de Silvia concederam entrevista exclusiva ao RONDONIAGORA e negaram que a vítima estava alcoolizada no dia em que morreu. Jorge Martins disse em gravação que a vítima estava embriagada e que eles brigaram. O corpo da mulher foi encontrado coberto com mato e lona em uma chácara no Bairro Nova Esperança, em Porto Velho.

A irmã da vítima Sâmia Santos de Souza, afirma que o exame médico não apontou bebida alcoólica no sangue de Silvia. “Até onde a gente sabe é que no exame feito no Instituto Médico Legal não apontou álcool no corpo dela. Quando saiu o áudio dele na mídia dizendo que ela estava bêbada e perdendo a noção de tudo, eu e meu irmão perguntamos para o médico e afirmou que ela não tinha ingerido bebida alcoólica no dia do crime. Isso que Jorge fala não é verdade porque minha irmã não era disso”, afirma Sâmia.

Ainda segundo relatos da irmã da vítima, a suspeita é que Jorge tenha cometido o crime por ela ter colocado fim no relacionamento. “Eu creio que ele já estava premeditando a morte da minha irmã porque ela não queria mais ele. Eu posso confirmar que ele disse uma vez que se ela não fosse dele não seria de mais ninguém”. 

Já outro irmão da vítima, José Santos acredita que o criminoso está buscando orientação de advogados. “Ele está mentindo. Ela não era capaz de beber. Estava fazendo tratamento de saúde, não teria como ter bebido”. Confira a entrevista: