Idaron organiza capacitação técnica para fortalecer vigilância sobre suspeitas de doenças em animais de produção de Rondônia

Idaron organiza capacitação técnica para fortalecer vigilância sobre suspeitas de doenças em animais de produção de Rondônia

Objetivo é ampliar a rede de proteção para evitar doenças nos animais

Porto Velho, RO - O Governo de Rondônia, por meio da Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril do Estado (Idaron), promoverá, de 18 a 21 deste mês, uma rodada de capacitações técnicas em Vilhena, Rolim de Moura, Ji-Paraná e Cacoal. A iniciativa tem como foco fortalecer a vigilância passiva e a detecção precoce de doenças em animais de produção e, nesse primeiro momento, é voltada aos profissionais autônomos, da iniciativa privada e instituições públicas da área de saúde animal e assistência técnica.

A programação é desenvolvida em parceria com o Conselho Regional de Medicina Veterinária (CRMV-RO), com o Fundo de Emergência contra Febre Aftosa (Fefa), Entidade Autárquica de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado (Emater-RO), Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) e com faculdades e entidades não governamentais. “O objetivo é estimular a participação desses profissionais no processo de fortalecimento da vigilância passiva, através da conscientização da sua importância na detecção precoce e da notificação de doenças em Rondônia”, salientou o diretor executivo da Idaron, Licério Correa Magalhães.

Vilhena será o primeiro município do estado a sediar a rodada de capacitações técnicas, no dia 18. Em seguida, dia 19, o evento será realizado em Rolim de Moura. No dia 20, acontece em Cacoal e, no dia 21, chega a Ji-Paraná.

“A motivação maior é montar uma rede integrada, em que todos os atores envolvidos na questão da saúde animal, estejam notificando a Idaron a respeito de suspeitas de doenças em animais de produção. Como a gente não vacina mais contra a febre aftosa, essa é a forma mais inteligente e efetiva de preveni-la. Hoje, em todo o estado, temos mais de 130 mil propriedades produtoras. Logo, é imperiosa a parceria entre o serviço veterinário oficial, o produtor rural e o médico veterinário da iniciativa privada, para, caso tenha alguma suspeita de doenças, notifique a Agência o mais precoce possível. Por isso, posteriormente, essa conversa também será feita com as revendas de produtos rurais e com os pecuaristas”, explica Márcio Alex Petró, coordenador do Programa Estadual de Vigilância para Febre Aftosa (Pnefa).

INSCRIÇÃO

A inscrição para o evento é gratuita e pode ser feita pela internet. As vagas são limitadas. Lembrando que as capacitações serão presenciais, com limite de vagas que permita o controle do número de pessoas nos locais de realização, tanto quanto o atendimento aos protocolos para evitar contaminação pela covid-19.