Viraliza vídeo de garotinha com má formação, cujo pai, policial militar em Chupinguaia, está preso há sete meses

Viraliza vídeo de garotinha com má formação, cujo pai, policial militar em Chupinguaia, está preso há sete meses

Porto Velho, RO - O FOLHA DO SUL ON LINE recebeu o vídeo emocionante de uma menininha de 2 anos e 3 meses, que nasceu com má formação e que, neste momento, está em Porto Velho, visitando o pai, um policial militar preso há 7 meses.
 
A criança é moradora de Chupinguaia, onde o pai foi preso junto com outros três colegas de farda em março deste ano, acusados de integrar uma “milícia armada” contratada pela proteger a fazenda Nossa Senhora Aparecida, palco de conflitos. Na época, o site publicou apenas três prisões, já que o pai da pequena Maria estava pescando e só se entregou depois (LEMBRE AQUI).
 
A criança estava na casa quando outros PMs cumpriram mandados e ameaçara prender sua mãe e entrega-la ao Conselho Tutelar, caso fosse encontrada alguma coisa ilegal no imóvel. “Ela chorava muito”, lembra a madrinha.
 
Segundo a madrinha da garotinha, que está com ela e a mãe na capital, o próprio pai pediu para vê-la, junto com o outro filho de 12 anos. Ele está preso numa unidade exclusiva para policiais.
 
Ao relatar a situação, a madrinha de Maria diz ter esperança numa decisão favorável da justiça, que está analisando um pedido de habeas corpus em favor dos quatro militares.
 
A entrevistada disse que não faz sentido a alegação do MP de que os policiais seriam perigosos e que a população de Chupinguaia teria medo deles. “Muitas pessoas contribuíram com uma vaquinha para pagar o advogado deles. Quem tem medo não faz isso”, argumenta.
 
A madrinha acrescenta que o pai da menina nunca foi perigoso e jamais se envolveu em qualquer ato de violência. “A gente tem fé que a justiça vai libera-lo. Não faz sentido passar tanto tempo na cadeia, sem julgamento, e sem ter ferido ninguém”.
 
CLIQUE ABAIXO e assista o vídeo da pequena Maria, que apesar das limitações físicas, é ativa, inteligente e carinhosa.